Transição para a Menopausa


Transição para a Menopausa O que há alguns anos atrás se imaginava ser “o fim da linha” ou o termino da feminilidade, atualmente é encarado como nova transição, em que é possível ousar novas experiências. Aproveitar melhor um período da vida sem se preocupar com a gravidez ou com a menstruação.

Porque ocorre a menopausa?

Ao nascer, a mulher tem cerca de 1 a 2 milhões de folículos nos ovários, cada um contendo um óvulo (oócito). Próximo a puberdade, existem de 300 mil a 500 mil folículos nos ovários; a redução é um processo normal.

Na puberdade os folículos produzem estrogênio, que faz com que a mulher comece a menstruar e isso se repete a cada ciclo. O folículo forma um cisto, que quando maduro, se rompe e ocorre a ovulação, liberando, assim um óvulo para ser fertilizado (fecundado). Depois da ovulação, o folículo que se rompeu, forma um “cisto de sangue”, que passa a ser chamado corpo lúteo; produzindo estrogênio, progesterona e outros hormônios, até começar um novo ciclo;

Caso não ocorra a gravidez, a camada que reveste internamente o útero, o endométrio, se descama, (fazendo uma analogia, como descamamos após queimadura de sol), e ao se desprender, vasos se rompem e a mulher menstrua. Assim o ciclo se repete.

Durante a vida reprodutiva, centenas de folículos desaparecem, em um processo natural que ocorre a cada ciclo menstrual.

Na transição da menopausa, muitos folículos já desaparecem, por conta da ovulação, diminui a produção de estrogênio e a menstruação normalmente começa a ficar irregular e, mais adiante, torna-se espaçada e com sangramento menor. A mulher, no Brasil, por volta dos 48 anos, apresenta um número reduzido de folículos ativos que não conseguem produzir estrogênio suficiente para a menstruação normal e assim ocorre a falta de menstruação (amenorreia), prenunciando a menopausa.

2 visualizações0 comentário